O que pregar a si mesmo todos os dias ?

Oi, gente ! A Paz do Senhor ! Como vocês estão ?

Essa semana eu vivi muitas coisas ! Dúvidas, questionamentos, pensamentos mil !
Quem me conhece sabe que eu sou assim, rs ! Mas Deus, só pra que fosse reforçado (não que houvesse necessidade), mais uma vez, resolveu mostrar o quanto Ele se importa comigo !
Ele usou pessoas muito especiais pra falarem coisas que realmente só poderiam ter vindo d’Ele
e que me serviram, como não poderia ser diferente, para me reanimar !

Então, quero começar o Post de hoje honrado essas duas pessoas, Julis ( essa é a maneira como eu chamo meu primo Juliano, rs ) e Jessica Dutra ! Vocês são muito especiais pra mim ! Vocês são uma benção !

Bom, como se não bastasse Deus ter usado pessoas tão especiais pra falarem comigo, Ele me deu a graça de ler esse texto que quero compartilhar com vocês e que, pra mim, reitera e conclui tudo o que me foi dito essa semana.

Porque somos tão naturalmente inclinados a olhar para nós mesmo e para nossa performance mais do que olhamos para Cristo e sua obra, precisamos nos lembrar constantemente do evangelho.

Se nós devemos pregar o evangelho para nós mesmos todos os dias, qual seria o real conteúdo dessa pregação? Do que é que eu preciso continuar sempre me lembrando?

Se Deus te salvou – se ele te deu a fé para crer nisso, e se você agora é um Cristão; se você transferiu sua confiança dos seus feitos e habilidades para os feitos de Cristo no lugar dos pecadores – então aqui está a boa notícia. Nas palavras de Colossenses 1, é simples assim:
você já foi tornado digno, você já foi resgatado, você já foi transportado [do domínio das
trevas], você já foi redimido, você já foi perdoado.

É aceito entre os especialistas que, no grego original, Efésios 1.3-14 é somente uma única sentença, bem extensa. Paulo está tão maravilhado pela pura grandeza e imensidade e bondade da preciosa graça de Deus que ele não faz nem uma pausa para respirar. Ele escreve em um estado de êxtase controlado. E no coração desse rompante está a idéia da “união com Cristo”. Fomos abençoados,
ele escreve, com “todas as bênçãos espirituais nas regiões celestiais em Cristo” (1.3): fomos escolhidos (v. 4), agraciados (v.6), redimidos (v.7), reconciliados (v. 10), predestinados (v. 11) e selados para sempre (v. 13). Tudo o que precisamos e ansiamos, Paulo diz, nós já possuímos se estamos em Cristo. Ele já assegurou firmemente o que nossos corações mais desejam.

Nós não precisamos mais depender, assim, da nossa posição, prosperidade, promoções, proeminência, poder, reconhecimento, prazeres passageiros ou popularidade, coisas que
por tanto tempo nós buscamos desesperadamente.

Dia a dia, o que nós precisamos fazer na prática só pode ser experimentado quando chegamos
a um entendimento mais profundo da nossa situação – um entendimento mais profundo do que
já é nosso em Cristo.

Eu costumava pensar que crescer como cristão significava que eu tinha que, de alguma forma, buscar obter as qualidades e atitudes que estavam faltando em mim. Para realmente amadurecer,
eu precisaria descobrir uma forma de alcançar mais alegria, mais paciência, mais fidelidade e por
aí vai.

Até que cheguei à chocante conclusão de que isso não é o que a Bíblia ensina e não é o evangelho. O que a Bíblia ensina é que nós amadurecemos  conforme entendemos o que já possuímos em Cristo. O evangelho, na verdade, nos transforma precisamente porque não é uma mensagem de transformação pessoal interna, mas da substituição externa de Cristo. Nós precisamos desesperadamente de um Advogado, de um Mediador e de um Amigo. Mas o que mais precisamos
é de um Substituto. Alguém que tenha feito por nós e assegurado para nós o que nunca seríamos capazes de fazer ou assegurar por nós mesmos.

O que a Bíblia ensina é que nós amadurecemos  conforme entendemos o que já possuímos em Cristo.

O trabalho da vida cristã, portanto, é pensar menos de mim mesmo e da minha performance
e mais de Jesus e da performance dele por mim. Ironicamente, quando nos focamos mais em nossa necessidade de melhorar, nós pioramos. Tornamo-nos neuróticos e egocêntricos. A preocupação com o meu esforço em detrimento do esforço de Deus me torna cada vez mais egoísta e morbidamente introspectivo.

Você poderia falar da seguinte forma: a santificação é o trabalho diário de voltar à realidade da nossa justificação – receber as palavras de Cristo “está consumado” em novas e mais profundas áreas de nosso ser diariamente, de encontro à nossa rebelião de falta de fé. É voltar à certeza da segurança do nosso perdão em Cristo e apertar o botão de reset mil vezes, todos os dias. Ou,
como Martinho Lutero tão habilmente colocou em uma pregação sobre Romanos, “Progredir é sempre começar de novo”. Progresso espiritual real, em outras palavras, requer uma grande quantidade diária de recomeços.

Em seu livro Because He Loves Me [Porque ele me ama], Elyse Fitzpatrick escreve sobre o quão importante esses recomeços são para o crescimento cristão:

Uma razão pela qual não crescemos em obediência humilde como deveríamos é porque
temos amnésia; nos esquecemos que somos limpos de nossos pecados. Em outras palavras,
o fracasso contínuo na santificação (o vagaroso processo de sermos conformados a Cristo)
é o resultado direto da nossa falha em não nos lembramos do amor de Deus por nós no evangelho. Se nos faltam o conforto e a segurança que o amor e a purificação de Deus deveriam nos suprir, nossos fracassos irão nos acorrentar aos pecados do passado e não teremos fé ou coragem para lutar contra eles, ou o amor por Deus que deveria nos fortalecer nessa guerra. Se deixamos de nos lembrar da nossa justificação, redenção e reconciliação, teremos problemas na nossa santificação.

O crescimento cristão, em outras palavras, não acontece primeiramente por uma melhora de comportamento, mas por uma melhora em acreditar – acreditar nos maiores, mais profundos
e preciosos caminhos que Cristo já assegurou para nós pecadores.

Pregue isso para si mesmo todos os dias e você experimentará cada vez mais a gigantesca
liberdade que Jesus pagou com tanto amor para te assegurar. 

Fonte: iPródigo

Ahhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhh ! Deus é bom de mais !

Que o nosso coração seja repetidamente lembrado de tudo o que o Senhor fez por nós
na cruz e sejamos sempre cheios de todo esse Amor que se importa tanto conosco !

Bom, é isso ! Fiquem com Deus, Ótimo Final de Semana !

Simplesmente como Jesus ♔

1 comentário a “O que pregar a si mesmo todos os dias ?”

Comente aqui...

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s