jesus 12

Jesus tinha 12 anos

O texto de Lucas 2:39-52 relata o episódio em que Jesus ainda criança viaja com seus pais até Jerusalém para celebrar a festa da Páscoa. Depois de terminada a festa, quando Maria e José voltavam para casa não perceberam a ausência de Jesus, provavelmente supunham que ele estava em outra parte da caravana, com outros parentes ou amigos.

No entanto, Jesus não acompanha sua família e permanece em Jerusalém entre os mestres, ouvindo-os e fazendo-lhes perguntas.

Após três dias de procura, Maria e José reencontram Jesus em Jerusalém, e perplexos com sua atitude o questionaram. Entretanto o menino responde da seguinte forma:

 -Por que vocês estavam me procurando? Não sabiam que eu devo me preocupar com os assuntos do meu Pai?

Buscando compreender esta passagem, cheguei a algumas respostas. Mas antes, vamos entender o contexto da época.

Pesquisando na Bíblia de Estudo Vida (NVI), observei que todos os homens adultos (em geral acompanhado de sua família) estavam obrigados por lei a participar anualmente de três festas: a Páscoa, o Pentecostes e a festa das Cabanas. (Isto nos leva a conclusão que provavelmente muitas pessoas se deslocavam até Jerusalém, talvez caravanas).

Na ocasião Jesus tinha 12 anos. Aos doze anos os meninos começavam a preparar-se para o ano seguinte assumir seu lugar na comunidade religiosa.

Confesso que este texto muito me incomodou. Principalmente quando finalmente Jesus é encontrado pelos pais, pois depois de três dias longe deles, Jesus se mostra frio e indiferente diante da aflição de Maria.

O que aprendo com esta história?

1 – Os interesses do Reino são superiores

Jesus como exemplo de homem que foi, com certeza foi obediente a seus pais. No verso 51, parte B diz: “e era lhes sujeito”, ou seja, Jesus era obediente a José e Maria. Talvez por essa razão Maria tenha ficado tão perplexa com sua atitude.

No entanto, sua resposta é mais que surpreendente: “Não sabiam que eu devo me preocupar com os assuntos do meu Pai?” (vs.49)

Entendo que embora Jesus fosse obediente aos pais terrenos, o dever com o Pai celestial, ou os assuntos do Pai celestial são superiores aos deveres e assuntos dos pais terrenos.

Assim também devemos aplicar às nossas vidas. Os interesses do Senhor devem ser superiores aos nossos e também daqueles que amamos. Passaremos por situações semelhantes,  onde deixaremos de estar com nossas famílias em determinados momentos de lazer e descanso e talvez até mesmo iremos deixa-los tristes para cumprir uma direção do Senhor.

2 – Não posso restringir o agir de Deus somente com o que compreendo e tenho por certo

Me colocando no lugar de Maria, como mãe, posso imaginar o desespero que ela vivenciou, pois foram três dias de procura.

E quando finalmente os pais de Jesus o encontraram, depois de alguns questionamentos, o verso 50 diz “Mas eles não compreenderam o que lhes dizia”. Ou seja, Maria não entendeu a resposta que Jesus lhe dera acerca de sua permanência em Jerusalém.

Na nossa caminhada com o Senhor não é diferente. Vivemos volta e meia, situações tão difíceis que às vezes não acreditamos que o Senhor está no controle. Temos nossos conceitos do que é certo e até mesmo do que é o melhor para nossas vidas. Se pudéssemos até daríamos uma “mãozinha para Deus”… Mas em certos momentos, acontece o contrário de tudo que buscamos e planejamos.

Naquela situação em especial, imagino que Maria achou absurda a postura de Jesus em não acompanha-los, pois ainda seu filho era um menino. Entretanto, mesmo sem entender, no verso 51 parte B diz que: “…sua mãe porém, guardava todas essas coisas em seu coração”.

Assim também devemos nos posicionar. Muito embora passemos por circunstâncias desfavoráveis, precisamos guardar tais situações, sabendo que Deus está no controle, e mais tarde, talvez venhamos a entender que estes momentos difíceis foram necessários para nosso amadurecimento e crescimento na fé.

3 – Mesmo durante o tempo do preparo, podemos ser usados por Deus

Esta é uma das poucas passagens que menciona a infância de Jesus. Na ocasião em que permaneceu em Jerusalém, ele era uma criança. Como citado anteriormente apenas no ano subsequente o menino assumiria seu lugar na comunidade religiosa.

No verso 40 diz que “o menino crescia, e se fortalecia em espírito, cheio de sabedoria, e a graça de Deus estava sobre ele”.

No verso 47 diz “e todos que o ouviam admiravam a sua inteligência e respostas”.

E no versículo 52 menciona “e crescia Jesus em sabedoria, e em estatura, e em graça para com Deus e os homens”.

Percebemos um preparo gradativo do menino. Jesus estava em um processo de crescimento, tanto físico, como espiritual.

Entretanto, mesmo estando “sendo preparado”, Jesus se deixou ser usado. Ele foi ousado, cumpriu a direção do Pai celestial e não voltou para casa com sua família. Se “infiltrou” no meio de pessoas cultas da sua época, e os surpreendeu diante de sua sabedoria.

O Senhor espera ouvir apenas um SIM da nossa parte. O resto, é por conta D’Ele.  Pois é a graça D’Ele que nos capacita!

Bem queridos, espero ter contribuído para a compreensão deste texto.

Que o Senhor vos abençoe poderosamente!!!

Fiquem na paz,ana

Ana Paula Campos

Discípula de Jesus

marcinhoeana@hotmail.com

3 comentários a “Jesus tinha 12 anos”

Comente aqui...

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s