Mais que vencedores em meio a tentação

No texto de Mateus 4.1-11, cita que antes de Jesus ter sido levado para o deserto Ele tinha acabado de ser batizado.

Entendemos que o batismo é a nossa afirmação que aceitamos Cristo como nosso único e suficiente Salvador e que estamos entregando nossa vida a Ele, isto é, significa que estamos arrependidos dos nossos pecados e fazemos uma aliança com Cristo de nova vida.

Após o batismo de Jesus nas águas a Escritura Sagrada afirma que o Espírito levou Jesus ao deserto para ser tentado.

Pare um pouco e pense o que é o deserto para você… Deserto é um lugar difícil, de provas, e Jesus passou por ele logo após ser batizado.

Hoje ouvimos muitas pessoas dizerem que ao aceitar Jesus sua vida nunca mais será a mesma, que tudo será lindo e maravilhoso, realmente sua vida nunca mais será a mesma, mas você será provado, passará pelo deserto. Você será tentado, humilhado, envergonhado, mas tudo isto será para que você produza perseverança (Romanos 5.3: “(…) também nos gloriamos nas tribulações, porque sabemos que a tribulação produz perseverança”). As tribulações não terão grande importância na sua vida porque o amor e a fidelidade que terás em Cristo será maior que todas essas coisas, isso sim é a grande diferença em sua vida!

Deus sabia que Jesus seria fiel a sua palavra em meio a provação, mas Ele quer nos mostrar que em meio as lutas nenhuma teologia ou religiosidade baseada fora da Bíblia Sagrada nos livra das tentações.

Tudo o que o diabo oferecia a Cristo e todas as dúvidas e alterações que ele colocava em evidência para que Cristo caísse era desfeita através da Escritura Sagrada.

Então, meu irmão, em Mateus 4.1-11, Cristo me deu o entendimento que a nossa vida aqui não será nada fácil, passaremos por provações, seremos tentados… Mas se estivermos firmados na Palavra de Deus (Bíblia), em comunhão e intimidade com Ele, iremos saber com agir e reagir em meio a todo tipo de situações, porque EM CRISTO SOMOS MAIS QUE VENCEDORES!!!

Priscila Pereirapriscila

Discípula de Cristo

priscilaprill@hotmail.com

Vencendo o diabo

Mateus 4:1-11

Graça e Paz amados,

O nosso objetivo tem sido em todo tempo vivermos uma vida simplesmente como Jesus, e como temos aprendido, viver como Jesus envolve não só tomar posse de todos os benefícios que essa nova vida traz, mas também vivermos as renúncias.

E se vivemos como Jesus, não devemos nos enganar, pois também teremos o mesmo inimigo que Ele. Falo isto não para que fiquemos amedrontados, mas para que possamos andar precavidos e armados para suas investidas, pois é certo que ele atacará.

Em certa ocasião, escutei algo em um filme que dizia que a maior arma de satanás era o engano, tanto que ele conseguiu enganar 1/3 dos anjos que estavam no céu (Apocalipse 12.4) Entretanto, o maior engano que ele já tinha feito era convencer a humanidade de que ele não existe e assim pegá-los desprevenidos.

Se analisarmos as táticas de guerra utilizadas em toda história da humanidade, veremos que sempre os exércitos tentam ludibriar os seus inimigos tentando se tornar invisíveis ao seu adversário. Isto é um grande trunfo quando se consegue êxito, um exemplo simples disto são as roupagens camufladas.

É certo afirmar, que estamos em uma batalha. E é certo também dizermos que já somos vitoriosos em Cristo Jesus, pois Ele já triunfou sobre os nossos inimigos na cruz do calvário (Colossenses 2.15). Contudo, devemos tomar posse, ou melhor, trazer a existência esta vitória a cada dia das nossas vidas. 1 Pedro 5.8: Estejam alertas e vigiem. O Diabo, o inimigo de vocês, anda ao redor como leão, rugindo e procurando a quem possa devorar.”

Na passagem de Mateus 4.1-11 aprendemos 5 situações preciosas para nossa batalha diária contra o inimigo. A forma como ele ataca, como podemos nos defender e também contra atacar.

Primeira situação v. 3 – Vemos o diabo atacando uma palavra que Deus tinha acabado de entregar para Jesus, ele diz “Se és filho de Deus”. O diabo vai tentar em todo tempo colocar dúvidas em sua mente, sobre as palavras que Deus tem te revelado.

Se Deus diz que você pode ser santo, que você pode e deve se relacionar com Ele, que estará com você em todo tempo, que você pode ser um líder de célula, um consolidador, um discipulador, não é uma mentira de satanás que vai nos fazer desacreditar!

Quando vier estes pensamos sobre a sua mente lembre-se das promessas que Deus tem para a sua vida, nós somos o que a bíblia diz que somos, podemos o que a bíblia diz que podemos e temos o que a bíblia diz que temos!

Segunda situação v. 3,4 – O diabo sempre vai atacar no ponto mais fraco. Jesus estava com fome e ele disse para ele transformar as pedras em pão. Precisamos sempre vigiar queridos, nós sabemos quais são os nossos pontos fracos e não devemos vacilar, pois o diabo não terá pena de nós.

Devemos vencê-lo na palavra, busque na palavra o que ela ensina para combater o seu ponto fraco!

Tem uma passagem a este respeito que me chama muito a atenção, Mateus 18.8,9: “Portanto, se a sua mão ou o teu pé te escandalizar, corta-o e atira-o para longe de ti; melhor te é entrar na vida coxo ou aleijado do que, tendo duas mãos ou dois pés, seres lançado no fogo eterno. E, se o teu olho te escandalizar, arranca-o, e atira-o para longe de ti. Melhor te é entrar na vida com um só olho do que, tendo dois olhos, seres lançado no fogo do inferno”. Devemos entender esta passagem, Jesus não esta mandando você literalmente retirar um membro do seu corpo, mas está ensinando que para certas situações, você tem que ser radical!

Um exemplo disto é que se você não pode ficar sozinho na frente do computador querido, então não fique! São coisas simples, semelhantes a esta, tome atitudes radicais contra a tentação, corte ela na raiz antes que se torne pecado!

Terceira situação v. 5,6 – O diabo é sagas, ele utiliza das suas informações para te atacar! Veja que Jesus usou a Palavra para combater a satanás. Mas ele (satanás) também vem com a Palavra para testar e tentar abalar a sua fé, colocando dúvidas em sua mente do porque Deus não faz isto ou aquilo por você.

A nossa fé não pode estar pautada pelo que Deus faz ou deixa de fazer por nós! Mas sim, pelo que vivemos Nele, para Ele e em que Ele pode fazer através de nós, pois Ele já fez tudo que precisávamos quando foi a cruz!

Quarta situação v. 8,9 – O diabo vai tentar fazer com que as coisas, se tornem mais fáceis para você! Isto mesmo que você leu, ele vai te ajudar, mas isto tem um preço.

Jesus veio a esta terra para redimir a humanidade, resgatar o homem de volta para Deus. E o que o diabo lhe oferece? Simplesmente aquilo que Jesus veio fazer, só que de uma forma bem mais simples e menos trabalhosa. Jesus não precisaria ser humilhado, crucificado e o pior de todos, separado de Deus, para conquistar aquilo que ele tinha vindo fazer. Em outras palavras, o diabo estava dizendo para Jesus: “Você não veio pelo mundo? Eu te darei os reinos do mundo e a glória deles. Você não precisa sofrer para obtê-los, eu te darei. Você só precisa me adorar.”

Querido, sinto lhe dizer, que se as coisas estão fáceis demais para você, coloque as barbas de molho, pois você pode estar sendo engando por satanás!

A vida cristã não é fácil, se esta vida não esta gerando um incômodo em você, um inconformismo, então tem alguma coisa errada. É muito melhor o impossível, o trabalhoso, o sofrido, o humilhante com Deus, do que qualquer outra coisa facilitada pelo diabo.

Quinta situação v. 10 – É o contra ataque, é a palavra de autoridade! Nós temos o poder no nome de Jesus e Deus colocou tudo embaixo deste nome. Filipenses 2. 9-11: Deus o exaltou soberanamente que lhe deu um nome que é sobre todo o nome, para que ao nome de Jesus se dobre todo joelho, dos que estão nos céus e na terra, e debaixo da terra e toda língua confesse que Jesus Cristo é o Senhor, para glória de Deus Pai.“. O diabo não pode e não vai prevalecer contra nós, a igreja do Senhor (Mateus 16.18), faça uso deste nome com autoridade.

Que Deus te abençoe e te ajude a cumprir com o chamado Dele na sua vida.

Márcio Alexsandermarcio

Discípulo de Cristo

maccosta@oi.com.br

No lugar certo

No início do capítulo 1 (Mateus 1.1-17) nos deparamos com a citação de algumas pessoas da geração que houve antes do nascimento do Messias. Cada pessoa citada teve um importante papel antes da vinda de Cristo, pois estes fazem parte dos seus antepassados.

A ênfase na família de Cristo nos mostra que pessoas anteriores a nós, quer sejam ruins quer sejam boas, foram necessárias para que a nossa história, a nossa missão, aqui na terra fosse completa.

Quantas vezes já chegamos até Deus e questionamos sobre a família que temos, o lar que habitamos, as nossas condições físicas, financeiras e psicológicas? Quantas comparações já fizemos da nossa vida com a vida dos outros?

Meu irmão, nada disto importa, quando entregamos nossa vida nas mãos de Jesus, todas as condições, quer sejam boas ou ruins, passam a ser para a exaltação do Senhor. Se Deus te trouxe ao mundo e te colocou nessa família é porque é aí que Ele quer te usar.

Para assumir a sua posição no Reino aqui na terra você precisava ter nascido exatamente nessa família.

Para que a promessa de Deus se cumprisse Jesus precisava vir como homem, e todas aquelas pessoas anteriores a Ele foram necessárias para a nossa história hoje seja completa.

Agradeça a Deus pela sua família, seja ela como for, apenas ore por ela, creia que o seu nascimento nesta família foi para mudar a realidade dela, foi para que através da sua vida toda sua geração seja impactada por Jesus.

Você é a pessoa que veio para transformar a história da sua família, para mostrar que a vida só pode ser encontrada em Cristo Jesus.

Apenas creia!

Priscila Pereirapriscila

Discípula de Cristo

priscilaprill@hotmail.com

Gênesis no Deserto

Mateus 3.

Queridos,

Mais uma vez estou aqui para compartilhar do que Deus tem se revelado a mim através da sua palavra no livro de Mateus, desta vez no capitulo 3.

Naqueles dias surgiu João Batista, pregando no deserto da Judéia. Ele dizia: “Arrependam-se, pois o Reino dos céus está próximo”.

Mateus 3.1,2 (NVI)

Quando li os dois primeiros versículos, já pedi a Deus que me trouxesse uma revelação a respeito do porque João foi para o deserto para anunciar a vinda do reino dos céus. Sinceramente, quem iria para um deserto para anunciar a vinda de um reino?

Nos dias de João Batista se ele quisesse alcançar o maior numero de pessoas, ele deveria ir às sinagogas aos sábados, pois era onde havia a maior concentração de pessoas e onde muitos poderiam ser atraídos para este reino, assim como Jesus fez e também seus discípulos após Ele.

Mas na verdade o que o Senhor queria mostrar neste momento era algo diferente, Ele queria não só a apresentação do seu reino ao povo, mas queria também trazer um ensinamento.

Deserto é um lugar onde não há absolutamente nada, é sinônimo de morte. As pessoas querem distância deste local, então só vai para um deserto quem realmente tem um interesse ou uma necessidade muito grande de estar nele. Deus está ensinando que as pessoas deveriam tomar uma atitude de vencer seu comodismo, a boa vida. Na verdade o Senhor quer pessoas realmente interessadas e compromissadas com o seu reino, que são capazes de deixar tudo e até se preciso for ir a um deserto para saber como ingressar em seu reino.

O deserto tem um significado muito grande na vida dos israelitas, foi no deserto após a saída do Egito, que o povo judeu experimentou de forma maravilhosa sete milagres diários durante 40 anos. Eles estavam sendo guiados por Deus para um novo reino, Deus em sua infinita sabedoria traça um paralelo aqui com a saída do Egito.

É como se Ele estivesse dizendo, venham para o deserto, pois assim como eu guiei aquele povo para terra prometida eu guiarei vocês também para o meu reino e durante o período em que permanecerem no deserto, eu cuidarei de vocês.

O Senhor me lembrou dos milagres no deserto. Deus os alimentou com maná e codornizes, deu-lhes água da rocha, mostrou-lhes o caminho com a nuvem e a coluna de fogo (que os protegia do sol durante o dia e os iluminava e aquecia durante a noite) e as suas vestimentas não se gastavam. E estes milagres foram os diários, fora tantos outros que Ele fez na caminhada.

Deus também está ensinando que para iniciar no seu reino tudo tem que começar do zero, como disse anteriormente o deserto é lugar onde não existe nada, tudo tem que se fazer novo para fazer parte do seu reino.

E aqui existe um paralelo maravilhoso para as nossas vidas que nos leva novamente ao antigo testamento.

Gn 1:2a. A terra, porém, estava sem forma e vazia; havia trevas sobre a face do abismo

Em outras palavras, a terra estava um deserto, mas algo maravilhoso acontece.

Gn 1:2b-5. e o Espírito de Deus pairava por sobre as águas. Disse Deus: Haja luz; e houve luz. E viu Deus que a luz era boa; e fez separação entre a luz e as trevas. Chamou Deus à luz Dia e às trevas, Noite. Houve tarde e manhã, o primeiro dia.

Amados, neste trecho em que diz que o Espirito de Deus pairava por sobre as águas, tem o mesmo sentido de dizer na língua original como se fosse uma ave sobrevoando um local. Isto me lembrou o final do capitulo 3 de Lucas, onde vemos toda a representação de Gênesis.

Mt 3:16,17. Batizado Jesus, saiu logo da água, e eis que se lhe abriram os céus, e viu o Espírito de Deus descendo como pomba, vindo sobre ele. E eis uma voz dos céus, que dizia: “Este é o meu Filho amado, em quem me comprazo”.

O Espírito de Deus vindo em forma de Pomba pairando sobre Jesus, as águas do batismo e Deus proclamando: “Este é o meu Filho amado, em quem me comprazo”, ou em outras palavras, “Eis ai a luz, eis a oportunidade para nós fazermos tudo novo para termos um novo gênesis nas nossas vidas”.

Deus mostra claramente para toda a humanidade a oportunidade de recomeçar, mostra quem é o caminho para isto, o seu filho amado em quem Ele se alegra, Jesus é a luz para iluminar por completo as nossas vidas e nos dá a oportunidade de viver como se fosse o primeiro dia de nossas vidas.

E não poderia deixar dizer que a partir deste ponto passa a ser uma responsabilidade nossa, levar esta oportunidade de uma nova vida a todos quantos forem possíveis.

Graça e Paz a todos.

Marcio Alexsander marcio

Discípulo de Jesus

maccosta@oi.com.br

Questionadores de um Ser inquestionável

No capitulo 2 do evangelho de Mateus, uma situação me chamou muito atenção e questionei a Deus a respeito, afim de melhor compreendê-la .

Nos versículos 1 a 3 vemos os magos chegando até Jerusalém sendo guiados por uma estrela, o que indicaria o nascimento do Rei dos judeus.

Depois que Jesus nasceu em Belém da Judéia, nos dias do rei Herodes, magos vindos do oriente chegaram a Jerusalém e perguntaram: “Onde está o recém-nascido rei dos judeus? Vimos a sua estrela no oriente e viemos adorá-lo”.

Quando o rei Herodes ouviu isso, ficou perturbado, e com ele toda Jerusalém.

Mateus 2.1-3

É muito claro que quem estava comandando esta estrela era o nosso Deus. Mas porque Deus guiaria estes magos até Jerusalém, fazendo com que o rei Herodes, aquele que não poderia saber o que estava acontecendo, ficasse sabendo de tudo e colocasse em risco a vida do menino Jesus?

A partir daí com os acontecimentos que se seguiram, Deus me ensinou algumas coisas.

E uma delas é que ao contrário do que muitos estão pregando por aí, de que a vida cristã é sempre um mar de rosas e que tudo de ruim que acontece na vida do cristão é coisa do diabo, na verdade “tudo coopera (situações ruins e boas) para o bem daqueles que amam a Deus e que foram chamados segundo o seu propósito” (Romanos 8.28), que sempre é perfeito.

Neste texto vemos claramente que ao invés de Deus tornar a vida de José mais tranquila para que se cumprisse o propósito em sua vida, as situações vão se tornando mais difíceis.

Neste ponto, lembrei-me do estudo que o Pr. Rodrigo Godoy nos passou a respeito da vida de Gideão (Juízes 8.1-21). Se para Gideão já não estava nada bom enfrentar um exército bem armado de 135 mil homens (Juízes 8.10) com 32 mil pessoas do povo (Juízes 7.3), ficou ainda pior quando teve que enfrentar este mesmo exército com apenas 300 (Juízes 7.7).

São nestes momentos de pressão, sofrimento e dificuldades que mais entendemos que não conseguimos fazer nada sozinhos, que precisamos de alguém com mais capacidade que nós e ficamos mais sensíveis à voz de Deus.

Vou te dar um exemplo da nossa vida cotidiana. Já está comprovada estatisticamente que a maioria dos acidentes de trânsito acontece quando as pessoas estão chegando a seus destinos, pois acontece um relaxamento natural por achar que já está tudo sobre controle e isto é uma coisa inerente a todo ser humano.

Deus sabe que quanto mais as coisas estiverem fora do nosso controle, ficamos mais alerta e tendemos a confiar mais no controle Dele, e é isto que acontece com José em três situações:

Mt 2:13. Depois que partiram, um anjo do Senhor apareceu a José em sonho e lhe disse: “Levante-se, tome o menino e sua mãe, e fuja para o Egito. Fique lá até que eu lhe diga, pois Herodes vai procurar o menino para matá-lo”.

Mt 2:19. Depois que Herodes morreu, um anjo do Senhor apareceu em sonho a José, no Egito, 20. e disse: “Levante-se, tome o menino e sua mãe, e vá para a terra de Israel, pois estão mortos os que procuravam tirar a vida do menino”.

Mt 2:22. Mas, ao ouvir que Arquelau estava reinando na Judéia em lugar de seu pai Herodes, teve medo de ir para lá. Tendo sido avisado em sonho, retirou-se para a região da Galileia.

José passa a ficar mais sensível a voz de Deus e cumpri com seu papel de sacerdote do lar, de cuidador. Quantas vezes nós vemos pessoas deixando de assumir com as suas responsabilidades, pois encontra tudo muito fácil?

Deus já estava forjando José e também Maria para tudo que teriam que enfrentar, “E não somente isto, mas também nos gloriamos nas próprias tribulações, sabendo que a tribulação produz perseverança;”  (Rm 5.3).

José não ficou questionando a Deus porque aquilo estava acontecendo, ou porque Deus tinha permitido aquilo e muito menos colocou a culpa no diabo, como muitos, fazem.

Creio eu, que José fez o que muitos de nós demoramos tanto a fazer, que é colocar o joelho no chão e orar e esperar pela resposta do Senhor, seja ela da forma e na hora que o Senhor quiser.

Por que questionamos tanto as coisas que acontecem em nossas vidas? Se questionamos, é porque não confiamos Naquele que a esta conduzindo, se é que Ele está realmente conduzindo as nossas vidas!

Então queridos, paremos de sermos questionadores e murmuradores e passemos a ser confiantes Naquele a quem entregamos as nossas vidas, pois é isto que Ele quer de nós.

Márcio Alexsander marcio

Discípulo de Jesus

maccosta@oi.com.br

Ser escolhido ou escolher

Mateus 1.

Como eu gosto de fazer no inicio de cada estudo, vou explanar um pouco sobre o autor e quem era o público alvo deste livro, pois nos norteará em toda a sua leitura.

Este livro foi escrito por Mateus ou Levi em algumas traduções. Foi um dos Apóstolos de Jesus, era coletor de impostos antes de ser convocado pelo Mestre.

Neste livro Mateus escreve com uma clara ideia de revelar Jesus ao povo judeu, e toda a escrita gira em torno disto.

Já no primeiro capitulo temos um ensino precioso para as nossas vidas. Vamos lá então:

Nos versículos de 1-16 vemos Mateus descrevendo a genealogia de Jesus O “Cristo”, quantos de nós já passamos correndo por estas leituras sobre genealogias?

Mas existe algo maravilhoso dentro de cada uma delas, neste caso vemos Mateus começando muito bem esta genealogia e chamando bastante atenção do povo Judeu.

Mateus 1:1 Livro da genealogia de Jesus Cristo, filho de Davi, filho de Abraão.

Mateus já apresenta Jesus como filho de dois dos maiores homens da historia de Israel:

Abraão – Pai da fé, da promessa e da Aliança.

Davi – O grande Rei, cujo cetro nunca se afastaria de sua descendência.

Só que a partir daí ele muda drasticamente sua escrita, mostrando para o leitor uma lista de antepassados que muitos de nós gostaríamos que ninguém ficasse sabendo.

Falaremos sobre alguns deles a partir de agora:

Isaque – Pouco se fala sobre Isaque nas escrituras, foi um personagem totalmente apagado entre os proeminentes Abraão e Israel. Uma pessoa que se não fosse filho de Abraão e pai de Israel provavelmente nem seria registrado nas escrituras.

Jacó – Mateus faz questão de chama-lo de Jacó e não de Israel, trazendo a memória do povo Judeu quem Israel tinha sido antes do seu encontro com Deus.

Judá – Um homem que teve participação ativa na trama que visava o desaparecimento de seu irmão mais novo José.

Tamar – Uma mulher que teve um filho com o seu sogro, em uma situação de muitos enganos e mentiras de ambas as partes.

Raabe – Prostituta de Jericó.

Rute – Uma mulher estrangeira, os Israelitas consideravam que todo estrangeiro eram pessoas inferiores.

Salomão – Apesar de ser um homem muito sábio, Mateus deixa bem claro que ele nasceu de uma relação de adultério do seu pai Davi com Bate-seba.

Roboão – Rei durante a divisão das Doze tribos de Israel nos reinos do Norte (10 tribos) e do Sul (2 tribos).

Manassés – O pior rei de toda a história de Israel.

Mateus faz questão de mostrar para o povo Judeu que a descendência de Jesus não é assim tão perfeita e que Deus não escolhe pessoas, mas ele usa e faz acontecer conforme Ele quer e conforme a pessoa se coloca a Sua disposição.

O nosso Deus não se importa com quem você era, quem era ou são os seus descendentes e parentes, se sua família só te traz vergonha, mas Ele se importa sim no que Ele pode te tornar se você deixar.

De uma descendência totalmente arrebentada Ele trouxe Aquele que é a Luz do mundo, e isto é só pela graça amados, estas pessoas não escolheram estar na linhagem do Rei dos reis.

Deus não escolhe pessoas, mas usa poderosamente aqueles que O Escolhe.

Deus quer te tornar luz aí onde você está não importa em qual situação familiar você se encontre, só abra espaço para Ele te usar.

Senhor, faça de mim luz para minha família, tira de mim tudo que ainda tenta apagar a sua Luz em mim.

Márcio Alexsandermarcio

Discípulo de Jesus

maccosta@oi.com.br

A genealogia de Jesus

Infelizmente poucos de nós se aprofundam no início do livro escrito por Mateus, onde encontramos a genealogia de Jesus.

Creio que o fato de Mateus (1:1-17) e também Lucas (3: 23-38) dispensarem tempo e espaço em seus Evangelhos para descrever a genealogia de Jesus, quer dizer muito não só sobre Jesus, mas sobre nós mesmos.

Vejo a importância desse texto sob dois pontos de vista:

O primeiro, a importância da nossa origem. Temos por trás de nós, toda uma história que começou a ser escrita a muito tempo.

A importância dos pais, avós, bisavós, tataravós, etc, é valorizada pelos evangelistas, acredito de que com o intuito de nós também valorizarmos a nossa origem. Por isso, nesses versículos que aparentemente não nos fala nada, o Senhor quer nos fazer olhar para a família que Ele nos deu e percebemos o quanto fomos planejados.Muitas vezes, vivemos nossa vida como se tivéssemos vindo de uma chocadeira, e esquecemos daqueles que Deus usou para nos dar vida.

Como temos cuidado dos nossos familiares, tempos dispendido tempo para os curtir, para amá-los, para valorizá-los?

A segunda ótica que podemos enfatizar, é da importância de cada um de nós na história e de como Deus trata cada um individualmente.

Quando leio a genealogia, penso em como Deus me chama pelo nome, como Ele se preocupou em escrever meu nome na história.

Muitos daqueles que estão descritos na genealogia são conhecidos como grandes heróis bíblicos, outros sequer são conhecidos, não realizaram grandes feitos, mas seus nomes estão lá.

Com isso, concluo que Deus quer usar cada um de nós a seu modo, seja de forma grandiosa aos olhos dos homens ou não, mas o fato é que, cada um de nós tem uma importância fundamental para nosso Pai.

Se qualquer um daqueles antepassados de Jesus não tivesse se deixado usar de uma forma ou de outra, com certeza a história seria contada de outra forma.

Por isso meus queridos irmãos, jamais nos esqueçamos que o quanto nosso Deus preza a nossa individualidade e que Ele nos olha um a um, cada qual com seu jeitinho, com suas características!

Ele não olha para o mundo e vê 7 bilhões de pessoas…Ele olha o mundo e vê você!!!!!!!

Tenham todos um excelente dia na presença do Senhor!!!
Mercilene de Sousamerci
Discípula de Jesus
mercilene@gmail.com

%d bloggers like this: