Arquivo de etiquetas: José

Saia do muro!

Apesar de José parecer um cara meio preguiçoso, digo isso porque ao ler os dois primeiros capítulos de Mateus eu fiquei com essa impressão, vamos analisar o contexto. Para um homem receber três visitas de um anjo em sonho, e isso só nos dois primeiros capítulos, irmãos, quer dizer que José dormia demais (risos). Brincadeirinha, na verdade José foi um grande homem e nos deixou grandes lições, e eu gostaria de compartilhar com os irmãos pelo menos três delas que estão em Mateus 1. 24, 25. Amém!
Ao acordar, José fez o que o anjo do Senhor lhe tinha ordenado e recebeu Maria como sua esposa. Mas não teve relações com ela enquanto ela não deu à luz um filho. E ele lhe pôs o nome de Jesus.
Mateus 1.24,25
Primeira lição:                                                                                                    
“Ao acordar, José fez o que o anjo do Senhor tinha lhe ordenado (…)”
José foi obediente a uma ordem vinda direta de Deus, e eu e você muitas vezes não obedecemos a uma ordem que Deus nos dá, e com isso quebramos o primeiro principio bíblico que é o da obediência a Deus.
Tem um texto bíblico que relata muito bem este tema, principalmente porque antes de fazermos todo o restante que Deus nos ordena que é jejuar, orar e dizimar, precisamos ser obedientes a Deus, está lá em Lucas 18. 11-13. Nestes versículos, Jesus faz uma comparação entre um fariseu e um publicano, e irmãos, vamos ser realistas, muita vezes temos orado e agido como fariseus, porque assim como ele, achamos que estamos fazendo o certo, por orar, dizimar, jejuar, …, e deixamos de obedecer a Deus, ou seja, vivemos em pecado. Já o publicano reconheceu que ele era um pecador, isto é, estava sendo desobediente a Deus.
Que em nome de Jesus, eu e você possamos ser como este publicano e reconhecer que de nada adianta as demais coisas se não formos primeiro obedientes a Deus. 
Segunda lição:
“(…) e recebeu Maria como sua esposa (…)”
Houve um arrependimento, isto é, uma mudança de atitude da parte de José, porque se voltarmos no capítulo 1, versículo 19 do livro de Mateus, vemos que José pensou em largar Maria. José nós mostra que houve da parte dele algo que nós não gostamos de fazer que é o verdadeiro arrependimento, ou seja, mudar nossas atitudes, porque na verdade nós preferimos ficar em cima do muro, pois do muro temos uma visão do que está acontecendo na parte de dentro e na parte de fora e assim, de acordo com as nossas necessidades, escolhemos, ainda que momentaneamente, de que lado nós queremos estar, mas pensa comigo, e se esse muro for igual ao de Jericó?
Porque a Bíblia diz que o muro de Jericó veio abaixo (Josué 6.20), só que nesse caso o mais importante não é a queda do muro, mas quando ele for ao chão de que lado você vai cair. Será do lado do povo de Jericó, e ser morto como a Bíblia relata que aconteceu (Josué 6.21) ou do lado do povo que irá herdar a terra prometida? Não deixe que a “sorte” escolha por você de que lado você vai cair quando Jesus voltar, desça desse muro o quanto antes!
Terceira lição:
“(…) Mas não teve relações com ela enquanto ela não deu à luz um filho. E ele lhe pôs o nome de Jesus.”
Irmãos, José era homem de carne e osso, assim como você e eu, que homem recém casado não quer logo tomar a sua esposa e ir para a noite de núpcias, no caso de José? Pode ser que ele desejasse colocar Maria no lombo de um jumentinho e ir passear com ela no melhor shopping da época e levá-la para jantar em um restaurante chic e tal, creio que essa era a vontade de José, porque, como está escrito em Mateus 1.19, ele era um homem justo, ou seja, uma pessoa que obedecia a Deus, então, com certeza, José se guardou para sua esposa, assim, ele deve ter tido uma luta muito grande entre a vontade da carne ou obedecer a vontade de Deus.
Conclusão:
Todos conhecem a história de Jesus, do seu nascimento até sua ressurreição, mas não é esse o nosso foco, gostaria de falar um pouco mais sobre a participação de Maria e José na história de Jesus, se essa não for a maior lição que José nós deixou, pelo menos é uma das mais importantes, porque se há algo que na história de José e Maria se difere de outras histórias bíblicas, é a UNIÃO que José teve com Maria e que fez toda diferença para que a promessa de Deus se cumprisse.
José entendeu desde a primeira vez que o anjo do Senhor apareceu para ele, que era fundamental ele e Maria permanecerem juntos, para que na hora das adversidades ele fosse o apoio de Maria. As vezes, para sua missão ser bem sucedida está faltando um “José” na sua vida, e pode ser ele o seu marido, a sua esposa, o seu pastor, um discipulador, …
E disse o Senhor: “Eles são um só povo e falam uma só língua, e começaram a construir isso. Em breve nada poderá impedir o que planejam fazer.”
Gênesis 11.6
O versículo acima, mostra muito bem que quando temos a mesma visão e falamos a mesma língua, grandes coisas podemos fazer, tudo bem que o povo fazia algo que desagradou a Deus, mas não é isso que eu quero enfatizar com você, mas sim a UNIÃO daquele povo. Note que neste versículo o Senhor disse “Em breve nada poderá impedir o que planejam fazer”. Será que este “Em breve”, não é agora, irmãos? Será que Deus não está esperando que nos unamos para Ele fazer grandes coisas através das nossas vidas?  Deve ser por isso também que no Salmo 133.1-3, o Senhor nós chama para viver em UNIÃO, a própria Trindade forma um só Deus que é forte e imbatível. Juntos somos mais fortes! 
Que essa mensagem encontre espaço em seu coração, e que você acorde, obedeça e mude a sua história mudando de atitude, porque isto somos nós que temos que fazer. Que você desça do muro, negue se a si mesmo para fazer a vontade de Deus e, principalmente, una-se, para que a missão que Deus confiou a você seja concluída. “SE DEPENDER DE DEUS NÓS NÃO VAMOS VENCER, NÓS JÁ VENCEMOS”. Amém.
Wallysson Cristianowallysson
Discípulo de Cristo
tililim.bh@hotmail.com
Anúncios

OBEDIÊNCIA AOS LÍDERES = CUMPRIMENTO DE PROFECIA

Quantas vezes em nossas vidas nos deparamos com situações em que precisamos tomar decisões que não são realmente o que queremos?

Vou ser mais especifico, quantas vezes recebemos ordenanças de nossos lideres, sejam eles governamentais, ministeriais, profissionais e estas ordens fazem oposição ao que realmente queremos ou ao que “achamos” que é certo?

Pois bem, quero que você junto comigo se coloque na situação enfrentada por José no texto de Lucas 2:1-7.

Vamos lá… José encontrava-se com sua esposa Maria prestes a dar a Luz. Uma situação que por si só já é bem delicada.

Mas não para por aí, as condições financeiras de José não eram as melhores, como podemos comprovar em Lc 2:24, quando da apresentação do sacrifício conforme a lei de Moisés, aquelas pessoas que não tinham uma condição financeira tão boa poderiam oferecer pombinhos ou rolinhas no lugar da ovelha Lv 5:7 e 12:8.

José estava prestes a começar uma nova família e além desta grande mudança na vida dele, acontece outra situação em que José precisaria tomar uma decisão. Um decreto do Império Romano ordenava que todos os povos deveriam passar por um censo.

Este censo meus queridos, não era somente para contagem da população no Império, mas tinha como objetivo principal aumentar a arrecadação de impostos. E para se realizar este censo as pessoas tinham que se deslocar até as suas cidades de origem. Neste caso, José teria que se deslocar até “Belém” que distava 110 km de Nazaré onde ele estava.

Este tipo de viagem naquela época era feita gastando-se aproximadamente três dias. Acompanhando uma mulher gravida, com certeza demoraria um pouco mais.

Qual seria a minha e a sua decisão no lugar de José? Será que nós colocaríamos o nosso filho, família e finanças em risco para cumprir com uma ordem de uma liderança, (que na verdade estava como liderança), mas que não era realmente a liderança do povo de Israel?

Na verdade o que José fez foi obedecer ao Senhor, pois sabia que toda autoridade é dada por Deus e desde que esta autoridade não lhe dê uma ordem que vá contra a ordem primaria do Todo Poderoso, ele teria que cumprir sem questionar.

Na obediência de José, vemos se cumprindo mais uma profecia com respeito ao nascimento do Salvador do mundo, que deveria nascer em Belém.

E chegamos à conclusão de que devemos obedecer às autoridades que Deus tem colocado sobre nós, mesmo que achemos que algumas de suas posições estão indo contra aquilo que imaginamos, ansiamos e esperamos. Se estas posições não vão contra a palavra de Deus, não há porque não obedecermos.

Graça e Paz.marcio

Márcio Alexsander

Discípulo de Cristo

maccosta@oi.com.br