Arquivo de etiquetas: união

A família de Jesus

“Falava ainda Jesus à multidão quando sua mãe e seus irmãos chegaram do lado de fora, querendo falar com ele. Alguém lhe disse: ‘Tua mãe e teus irmãos estão lá fora e querem falar contigo’. ‘Quem é minha mãe, e quem são meus irmãos?’, perguntou ele. E, estendendo a mão para os discípulos, disse: ‘Aqui estão minha mãe e meus irmãos! Pois quem faz a vontade de meu Pai que está nos céus, este é meu irmão, minha irmã e minha mãe’.” Mateus 12.46-50 (NVI)

A primeira vez que li este texto fiquei me perguntando “Por que Jesus estava desprezando sua família?”, “Por que ele não se levantou e foi atender seus familiares?”, mas depois, lendo esses versículos, percebi que Cristo não desprezou sua família, ao contrário, ele incluiu os discípulos na sua família. A Bíblia não fala, mas acredito que depois de dizer isso Jesus se levantou e foi até onde sua mãe e seus irmãos estavam, os abraçou e conversou com eles.

Em João 19.26,27, quando Jesus diz a João que Maria agora era sua mãe e a Maria que João agora era seu filho, fica claro que Ele se importava com sua mãe e como ela ficaria após a sua morte.

Em 1 Timóteo 5.8 diz: “Se alguém não cuida de seus parentes, e especialmente dos da sua própria família, negou a fé e é pior que um descrente.” (NVI). Jesus é perfeito, portanto ele não rejeitou nem desprezou sua família.

Mas o ponto onde quero chegar, no texto inicial (Mateus 12.46-50), é que Jesus inclui em sua família os seus discípulos, eles não eram só conhecidos, mas passaram a ser da sua família. Como consequência disso, eles tinham toda liberdade que uma família tem.

E isso não parou quando Jesus morreu, ressuscitou e subiu para junto do Pai, vemos nos evangelhos que após a morte e ressurreição de Cristo eles se mantiveram juntos (Marcos 16.14/João 20.19,26/João 21.2). Logo depois da ascensão de Jesus aos céus, eles permaneceram juntos (Atos 1.13,14), estavam juntos no dia de Pentecoste quando o Espírito desceu sobre eles (Atos 2.1) e continuaram assim a medida que novos membros entravam na família (Atos 2.44). Quando a Igreja se dispersou por causa da perseguição (Atos 8.1-4) por onde quer que fossem, pregavam a Palavra e assim, acrescentavam novos membros à família.

Os que criam mantinham-se unidos e tinham tudo em comum. Vendendo suas propriedades e bens, distribuíam a cada um conforme a sua necessidade.

Atos 2.44,45 (NVI)

Há um tempo perguntei a Deus o que seria necessário para que eu visse o texto acima se realizando nos dias de hoje, e é isso que vou tentar responder aqui, através da Palavra.

No final do nosso texto base (Mateus 12.46-50) Jesus fala: “Pois quem faz a vontade de meu Pai que está nos céus, este é meu irmão, minha irmã e minha mãe.”, portanto qualquer que fizer a vontade de Deus, e isto não é apenas conhecer a Palavra mas praticá-la (Lucas 8.21), é incluído na família de Cristo. Isto significa que, se você e eu ouvimos e praticamos a Palavra de Deus fazemos parte da família de Jesus. Mas, se não olharmos isto com a Palavra sendo nossa luz, entenderemos como religião, isto é, o homem tentando se aproximar de Deus através do fazer algo. 

Em João 14.21(a) Jesus falou: “Quem tem os meus mandamentos e lhes obedece, esse é o que me ama.” (NVI) e em João 14.23(a) “Respondeu Jesus: Se alguém me ama, obedecerá à minha palavra.” (NVI). Assim, conseguimos ter e obedecer aos mandamentos de Jesus, se o amamos. Portanto, fazendo uma implicação lógica temos: Amar Jesus implica que teremos e obedeceremos a seus mandamentos, ter e obedecer aos mandamentos de Cristo implica que faremos parte da sua família (Mateus 12.50). Logo, amar Jesus implica que faremos parte da sua família. 

Assim, a resposta para a pergunta: “O que é necessário para termos a união e a comunhão dos irmãos da Igreja Primitiva nos dias de hoje?” é: AMAR JESUS.

Consequentemente amaremos nossos irmãos (aqueles que fazem parte da família de Jesus), os aceitaremos com suas particularidades, choraremos juntos, sorriremos juntos, nos ajudaremos nos momentos de dificuldades, comeremos juntos, oraremos juntos, procuraremos o crescimento uns dos outros, enfim, seremos uma família. E isso nos levará a ser verdadeiras testemunhas, pois estaremos pregando aquilo que vivemos. Amaremos nosso próximo e desejaremos que aqueles que ainda não fazem parte da nossa família, façam parte e desfrutem da verdadeira comunhão.

Que o nosso maior desejo seja conhecer Jesus! Só uma pequena revelação do Seu amor fará com que nossos joelhos se dobrem em completa adoração Àquele que escolheu tomar o nosso lugar e pagar nossa dívida.

Esta mensagem é dedicada aos meus irmãos que, através das suas palavras e atitudes, me mostraram que é possível viver a comunhão da Igreja Primitiva.

Joyce

Saia do muro!

Apesar de José parecer um cara meio preguiçoso, digo isso porque ao ler os dois primeiros capítulos de Mateus eu fiquei com essa impressão, vamos analisar o contexto. Para um homem receber três visitas de um anjo em sonho, e isso só nos dois primeiros capítulos, irmãos, quer dizer que José dormia demais (risos). Brincadeirinha, na verdade José foi um grande homem e nos deixou grandes lições, e eu gostaria de compartilhar com os irmãos pelo menos três delas que estão em Mateus 1. 24, 25. Amém!
Ao acordar, José fez o que o anjo do Senhor lhe tinha ordenado e recebeu Maria como sua esposa. Mas não teve relações com ela enquanto ela não deu à luz um filho. E ele lhe pôs o nome de Jesus.
Mateus 1.24,25
Primeira lição:                                                                                                    
“Ao acordar, José fez o que o anjo do Senhor tinha lhe ordenado (…)”
José foi obediente a uma ordem vinda direta de Deus, e eu e você muitas vezes não obedecemos a uma ordem que Deus nos dá, e com isso quebramos o primeiro principio bíblico que é o da obediência a Deus.
Tem um texto bíblico que relata muito bem este tema, principalmente porque antes de fazermos todo o restante que Deus nos ordena que é jejuar, orar e dizimar, precisamos ser obedientes a Deus, está lá em Lucas 18. 11-13. Nestes versículos, Jesus faz uma comparação entre um fariseu e um publicano, e irmãos, vamos ser realistas, muita vezes temos orado e agido como fariseus, porque assim como ele, achamos que estamos fazendo o certo, por orar, dizimar, jejuar, …, e deixamos de obedecer a Deus, ou seja, vivemos em pecado. Já o publicano reconheceu que ele era um pecador, isto é, estava sendo desobediente a Deus.
Que em nome de Jesus, eu e você possamos ser como este publicano e reconhecer que de nada adianta as demais coisas se não formos primeiro obedientes a Deus. 
Segunda lição:
“(…) e recebeu Maria como sua esposa (…)”
Houve um arrependimento, isto é, uma mudança de atitude da parte de José, porque se voltarmos no capítulo 1, versículo 19 do livro de Mateus, vemos que José pensou em largar Maria. José nós mostra que houve da parte dele algo que nós não gostamos de fazer que é o verdadeiro arrependimento, ou seja, mudar nossas atitudes, porque na verdade nós preferimos ficar em cima do muro, pois do muro temos uma visão do que está acontecendo na parte de dentro e na parte de fora e assim, de acordo com as nossas necessidades, escolhemos, ainda que momentaneamente, de que lado nós queremos estar, mas pensa comigo, e se esse muro for igual ao de Jericó?
Porque a Bíblia diz que o muro de Jericó veio abaixo (Josué 6.20), só que nesse caso o mais importante não é a queda do muro, mas quando ele for ao chão de que lado você vai cair. Será do lado do povo de Jericó, e ser morto como a Bíblia relata que aconteceu (Josué 6.21) ou do lado do povo que irá herdar a terra prometida? Não deixe que a “sorte” escolha por você de que lado você vai cair quando Jesus voltar, desça desse muro o quanto antes!
Terceira lição:
“(…) Mas não teve relações com ela enquanto ela não deu à luz um filho. E ele lhe pôs o nome de Jesus.”
Irmãos, José era homem de carne e osso, assim como você e eu, que homem recém casado não quer logo tomar a sua esposa e ir para a noite de núpcias, no caso de José? Pode ser que ele desejasse colocar Maria no lombo de um jumentinho e ir passear com ela no melhor shopping da época e levá-la para jantar em um restaurante chic e tal, creio que essa era a vontade de José, porque, como está escrito em Mateus 1.19, ele era um homem justo, ou seja, uma pessoa que obedecia a Deus, então, com certeza, José se guardou para sua esposa, assim, ele deve ter tido uma luta muito grande entre a vontade da carne ou obedecer a vontade de Deus.
Conclusão:
Todos conhecem a história de Jesus, do seu nascimento até sua ressurreição, mas não é esse o nosso foco, gostaria de falar um pouco mais sobre a participação de Maria e José na história de Jesus, se essa não for a maior lição que José nós deixou, pelo menos é uma das mais importantes, porque se há algo que na história de José e Maria se difere de outras histórias bíblicas, é a UNIÃO que José teve com Maria e que fez toda diferença para que a promessa de Deus se cumprisse.
José entendeu desde a primeira vez que o anjo do Senhor apareceu para ele, que era fundamental ele e Maria permanecerem juntos, para que na hora das adversidades ele fosse o apoio de Maria. As vezes, para sua missão ser bem sucedida está faltando um “José” na sua vida, e pode ser ele o seu marido, a sua esposa, o seu pastor, um discipulador, …
E disse o Senhor: “Eles são um só povo e falam uma só língua, e começaram a construir isso. Em breve nada poderá impedir o que planejam fazer.”
Gênesis 11.6
O versículo acima, mostra muito bem que quando temos a mesma visão e falamos a mesma língua, grandes coisas podemos fazer, tudo bem que o povo fazia algo que desagradou a Deus, mas não é isso que eu quero enfatizar com você, mas sim a UNIÃO daquele povo. Note que neste versículo o Senhor disse “Em breve nada poderá impedir o que planejam fazer”. Será que este “Em breve”, não é agora, irmãos? Será que Deus não está esperando que nos unamos para Ele fazer grandes coisas através das nossas vidas?  Deve ser por isso também que no Salmo 133.1-3, o Senhor nós chama para viver em UNIÃO, a própria Trindade forma um só Deus que é forte e imbatível. Juntos somos mais fortes! 
Que essa mensagem encontre espaço em seu coração, e que você acorde, obedeça e mude a sua história mudando de atitude, porque isto somos nós que temos que fazer. Que você desça do muro, negue se a si mesmo para fazer a vontade de Deus e, principalmente, una-se, para que a missão que Deus confiou a você seja concluída. “SE DEPENDER DE DEUS NÓS NÃO VAMOS VENCER, NÓS JÁ VENCEMOS”. Amém.
Wallysson Cristianowallysson
Discípulo de Cristo
tililim.bh@hotmail.com